Imagine…

que uma empresa privada lhe oferece os serviços básicos de um Estado, a proteção da vida, da liberdade e da propriedade, em um território dentro de um país anfitrião. Você paga uma quantia fixa por esses serviços por ano. Seus direitos e obrigações são estabelecidos em um acordo escrito entre você e o operador. Fora isso, você é livre de fazer o que quiser, desde que respeite os direitos dos seus concidadãos.

O operador não pode alterar unilateralmente o seu contrato de residente. Agora, você é uma parte contratante em pé de igualdade, gozando de uma posição jurídica segura, em vez de estar sujeito aos caprichos em constante mudança da política. Além disso, você só participa se aceitar a oferta.

CapaLivro

O Livro

O novo livro Free Private Cities por Titus Gebel apresenta os fundamentos teóricos, analisa exemplos do passado e do presente e dá dicas práticas sobre como construir uma Cidade Privada Livre no mundo real. É uma obrigação para todos aqueles que querem se envolver neste novo mercado ou estão interessados no conceito de Cidades Privadas…

EarthLight

Porque o Mundo precisa de Cidades Privadas Livres

As sociedades no mundo inteiro sofrem com a perda de confiança nos governos e com a agitação social. Parece que as formas tradicionais de governo, mesmo as democracias ocidentais, estão atingindo seus limites. Isto não é coincidência. A maioria das pessoas quer decidir por si mesmas sobre suas vidas e não deixar isso para um…

Citizens

Quem se beneficia de Cidades Privadas Livres?

Residentes …, que querem desfrutar de segurança garantida e acessível, bem como liberdade sob um regime de estrita “Rule of Law”. Até agora, apenas grandes empresas com grandes volumes de investimento podem negociar acordos de estabilidade legal com governos. Em Cidades Privadas Livres, cada residente obtém seu próprio acordo pessoal com a operadora, o que…

Migrant Cities

Como seria a Vida em uma Cidade Privada Livre?

Prestadores de serviços inovadores, como Uber ou Airbnb, não são proibidos. Há empresários privados que cobrem tudo o que é exigido, desde hospitais, escolas e jardins de infância até a coleta de lixo. Se desejado, os residentes podem se assegurar privadamente contra todas as eventualidades da vida ou criar grupos de ajuda mútua, seja para…

BuildingTheCities

Construindo as Cidades do Futuro

“Com a crescente adoção de Zonas Econômicas Especiais (ZEEs), o espaço para experiências de governança territorialmente limitadas está ficando maior. Em todo o mundo, quase 80 por cento dos países já têm uma ZEE de algum tipo. Alguns países até têm várias ZEEs competindo entre si. É apenas uma questão de tempo até que uma…

download

Newsletter Nr. #10 – Setembro de 2019

Newsletter #10 de Zonas de Prosperidade e Cidades Privadas  Q3 2019 Queridos leitores, Nós estamos vivendo em uma época interessante. Muita coisa aconteceu desde a última newsletter. Primeiro, nós mudamos o título para “Zonas de Prosperidade e Cidades Privadas”. Isso é para deixar claro que temos um guarda-chuva maior do que a “simples” Cidade Privada Livre…

FEE

Cidades Privadas podem ajudar a resolver a Crise dos Refugiados?

“A garantia de segurança, o compromisso com a lei e os contratos, as liberdades pessoais e econômicas e a recusa em aceitar conflitos políticos ou religiosos são todas indicações de que essas comunidades crescerão e prosperarão. Elas podem oferecer a muitas pessoas uma perspectiva real que de outra forma não teriam simplesmente porque nasceram no…

governancasempolitica

Uma Vida sem Política é possível

As Cidades Privadas Livres são, com a exceção da relação com o Estado anfitrião e com o mundo exterior, sociedades não-políticas. Todos conhecem os seus direitos e obrigações. Sabe-se desde o início que não é possível impor os próprios valores aos outros. A legitimidade deste sistema é inquestionável. Afinal de contas, cada cidadão individual assinou…

Capitol USA Building. Dome close-up.  United States Congress.The east front at day. White feather clouds and blue sky.   Washington DC. USA

É necessário repensar a Governança

“Para finalizar, as vantagens que a governança contratual pode trazer aos sistemas jurídicos existentes são enormes, mas a principal delas é a transição de uma relação soberano-súdito para uma relação prestador de serviços-cliente, transformando essencialmente a governança em um mercado. Com a concorrência e a cooperação de mercado em ação, mais experimentação e adaptação levarão…